.:: Psicólogo Clínico (CRP 06/97030), Professor, Escritor e Expositor ::.
.:: Contato ::..:: Responsabilidade Social ::. .:: Espaço "Fragmentos da vida cotidiana ::. .:: Textos ::..:: Fotos e Vídeos ::. .:: Livros ::. .:: Quem sou ::.
 
 

Psicoterapia

A psicoterapia consiste na aplicação de técnicas e métodos psicológicos preventivos, psicoterapêuticos e de reabilitação, que favorecem o tratamento de distúrbios psicológicos ou problemas de ajustamento cotidiano.

Pode-se propiciar, desta forma, melhores condições de convivência, desempenho e autorealização para o cliente, por meio da ampliação da consciência que a pessoa tem de si mesma e do meio que a cerca.

Compreende-se, para isso, o desenvolvimento humano como um processo contínuo de busca por um ideal de integração e aperfeiçoamento. Desenvolver-se, assim, é tornar real certas potencialidades humanas, entre elas, a inteligência, a emotividade, a imaginação, a criatividade e a capacidade de amar. E a psicoterapia tem o objetivo de facilitar este movimento.

O que oferecemos:

  • Consulta Psicológica: realização de consultas para análise, compreensão e esclarecimento das condições psicológicas dos clientes;

  • Psicoterapia individual (infantil, adolescente, adulto e idoso): atendimento psicoterapêutico com o objetivo de tratar distúrbios psicológicos, emocionais, intelectuais, funcionais, evolutivos, entre outros.

Dúvidas comuns:

O que é a Psicologia? O que ela estuda?

Trata-se de uma ciência que, assim como outras ciências e disciplinas (sociologia, antropologia, economia, etc.), estuda o comportamento humano. Embora também considere, por exemplo, a conduta institucional/grupal, o contexto cultural e o comportamento que leva à produção e consumo de bens e serviços, enfatiza a análise do indivíduo como sua unidade de estudo, quer a pessoa esteja só ou em grupo.

Ressalta-se que não deve haver rivalidade ou concorrência entre as ciências do comportamento, mas um espírito de colaboração e intercâmbio, que sustenta o empenho em desvendar os mistérios do homem, explicados de acordo com os interesses e pontos de vista de cada ciência.

O que faz um Psicólogo?

O Psicólogo, em síntese, estuda o homem em toda sua variedade e complexidade, de acordo com as possibilidades que surgem ao mergulhar nas numerosas manifestações do comportamento humano, sejam elas manifestas ou encobertas, simples ou complexas, habituais ou insólitas.

Tenta descobrir por que o homem faz o que faz, compreender as causas originais de seus conflitos internos e de seu comportamento enquanto um ser biopsicossocial, marcado por desejos, medos, esperanças, aptidões e limitações.

Quais são as principais responsabilidades de um Psicólogo?

A atuação do Psicólogo deve pautar-se em princípios que defendam e preservem, acima de tudo, a dignidade, a liberdade e a integridade do ser humano.

Desenvolverá, segundo consta no Código de Ética Profissional do Psicólogo, o sentido de sua responsabilidade profissional, por intermédio de um constante desenvolvimento pessoal, científico, técnico e ético.

Além disso, suas ações propõem-se a:

  • identificar e compreender, por meio dos conhecimentos da Psicologia, os fenômenos psíquicos que permeiam a relação do homem com o ambiente que o cerca;

  • promover a saúde e a qualidade de vida;

  • sensibilizar indivíduos para construir um sentido para sua existência;

  • compreender as raízes do sofrimento humano;

  • resgatar a essência do ser humano;

  • auxiliar o indivíduo a enfrentar e a superar momentos de crise;

  • facilitar o desenvolvimento de relações interpessoais mais construtivas, saudáveis e harmônicas;

  • analisar, compreender e posicionar-se de forma crítica e consciente diante da realidade política e social;

  • zelar pela sua constante capacitação pessoal, teórica e técnica;

  • criar condições para eliminar a opressão e a marginalização do ser humano;

  • assumir um compromisso social;

  • trabalhar a favor da universalização do acesso às informações, ao conhecimento da ciência psicológica*, aos serviços e padrões éticos da profissão;

  • desenvolver um clima de respeito, consideração e solidariedade com outros profissionais ou Psicólogos.

* Ao exercer sua profissão, o Psicólogo, segundo consta no Código de Ética Profissional, deve se afastar de convicções políticas, filosóficas, morais, ideológicas, religiosas, de orientação sexual ou qualquer tipo de preconceito.

Qual a diferença entre Psiquiatra e Psicólogo? Psicólogo é médico?

Psicólogo não é médico. Possui formação superior em Psicologia, uma ciência que se refere aos fenômenos psíquicos e do comportamento.

Já o Psiquiatra é um profissional da medicina que possui especialização em Psiquiatria – uma especialidade médica que investiga e trata as perturbações e anormalidades mentais. O Psiquiatra é apto a prescrever medicamentos, algo não designado ao Psicólogo.

Há preconceito em relação à Psicoterapia?

O preconceito em relação à Psicoterapia é algo que dificulta a decisão de procurar o serviço de um profissional qualificado. Para algumas pessoas, Psicólogo e Psiquiatra, por exemplo, reservam-se apenas ao tratamento de pessoas com graves distúrbios mentais. Escuta-se, não raras vezes, que tais profissionais cuidam apenas da “loucura” – o que pode causar sentimento de insegurança e vergonha.

Quando procurar um Psicólogo?

Quando de alguma forma a pessoa se sente insatisfeita com algum aspecto de sua vida ou vivencia algum conflito/sofrimento que, por si só, não consegue superar. Em outros casos, pode-se recorrer ao trabalho de um Psicólogo, quando o indivíduo não consegue compreender (com seus próprios recursos) alguma situação ou acontecimento – o que necessita da ampliação da consciência a respeito de si e do ambiente que o cerca.

Há algum prazo para terminar o atendimento?

Os prazos estão relacionados aos objetivos desejados, gravidade do problema, recursos internos do cliente e abordagem do Psicoterapeuta. Ressalta-se, no entanto, que a condição de ser único e exclusivo de cada cliente impossibilita a predeterminação de prazos.

De qualquer forma, o processo psicoterapêutico seguirá sempre em comum acordo entre o profissional e o cliente.

Como iniciar um processo psicoterapêutico?

Basta marcar uma entrevista inicial, para que o cliente possa expor o motivo (manifesto) da consulta, obter informações sobre o atendimento, esclarecer suas dúvidas pessoalmente e ser avaliado pelo Psicólogo quanto à necessidade ou não de iniciar um processo psicoterapêutico.

O que é o contrato de trabalho?

Trata-se de um acordo para realização da psicoterapia, com o intuito de definir, de maneira concreta, as bases do trabalho e nortear o processo que se inicia. Desta forma, os objetivos, expectativas e dificuldades são expostos de maneira objetiva e, assim, evitam-se ambiguidades, erros ou mal-entendidos.

O que se chama de enquadre (ou setting) é constituído por um conjunto de variáveis que foram fixadas inicialmente e que representam os pilares que irão sustentar (ou situar) o processo a ser desenvolvido. Tais normas definidas com o cliente facilitam o melhor desenvolvimento possível do tratamento analítico.

Tudo isso ajuda a delimitar o campo de trabalho do profissional e, ainda, a fortalecer o respeito e o cumprimento ao Código de Ética, bem como aos demais aspectos da legislação profissional, todos eles sistematizados a partir das Resoluções do Sistema Conselhos de Psicologia - que tem a finalidade de "orientar, disciplinar e fiscalizar o exercício da profissão do Psicólogo e zelar pela fiel observância dos princípios de ética e disciplina da classe" (Lei Federal nº 5.766 de 20 de dezembro de 1971).

Ressalta-se, é claro, que dentro de certos limites, o contrato de trabalho pode variar de acordo com as circunstâncias, diante do que o cliente propuser e de suas possibilidades.

Como é o seu contrato de trabalho?

Após a entrevista, uma vez feita a escolha conjunta pelo início do trabalho, os acordos para a psicoterapia são apresentados e explicados, para que o trabalho possa ocorrer de forma satisfatória e para que o setting, em seus mais diversos aspectos, seja protegido.

Reafirma-se, de fato, a questão da confidencialidade (sigilo profissional), que tem o objetivo de proteger a pessoa atendida. O Psicólogo deve criar todas as condições necessárias para que não haja, durante o exercício profissional, a violação das informações obtidas e da intimidade de pessoas, grupos ou organizações.

Explica-se que o objetivo do trabalho psicoterapêutico é facilitar o autoconhecimento e ajudar a potencializar recursos (internos) para a pessoa lidar de forma mais produtiva / assertiva com situações que, por si só, não consegue enfrentar. O trabalho consiste na terapia por meio da fala. O cliente diz tudo o que for surgindo em sua mente, com a maior liberdade. Deve ser o mais espontâneo, livre e sincero que puder. Quanto mais dados trouxer (mesmo aqueles conteúdos que possam parecer, a priori, pouco importantes), melhor será para o trabalho.

O valor da sessão, forma de pagamento, dia(s) da semana e horário de atendimento são previamente acertados, além dos acordos a seguir:

Clique aqui para fazer o download do nosso Acordo Psicoterapêutico atualizado - 01/2020

Rodrigo Arcanjo dos Santos - Psicólogo Clínico (CRP 06/97030), Professor, Escritor e Expositor.

 

Agende sua consulta e obtenha maiores informações pelos telefones:

(11) 98065-4995 (Oi)
(11) 98155-7558 (Tim)

e-mail: arcanjo.psi@hotmail.com

Endereço: Rua Vargem Grande, 49 (sala 7) - Tatuapé
CEP 03316-020 - São Paulo/SP

+ Mapa do local

 
 
.:: Home ::.
 

Rodrigo Arcanjo - Copyright 2011 - Todos os direitos reservados
.:: Serviços de Psicologia Clínica ::. .:: Plantão Psicológico ::. .:: Currículo Lattes ::. .:: Facebook ::..:: Currículo Lattes ::..:: Linkedin ::. .:: Missão, Visão e Valores ::. .:: e-mail ::. .:: Whatsapp ::. .:: Página inicial ::.